influencer marketing

A curva de crescimento continua e a projeção é que o setor chegue a movimentar 84 bi de dólares ano até 2028.

O mercado de marketing de influência está em uma exponencial crescente desde a democratização do acesso à internet e, consequentemente, às redes sociais, além da descentralização de estratégias de marketing, com o objetivo de atingir públicos mais assertivos.

Um estudo da Kantar apontou que influencers são a mídia que as pessoas mais gostam de receber e visualizar conteúdo publicitário no digital. Já uma da Nielsen, um dos mais importantes institutos de metrificação de comunicação, trouxe o dado de que consumidores lembram mais de anúncios feitos com influencers do que anúncios tradicionais (36% contra 66%), juntamente pela conexão mais próxima que os influenciadores possuem com os seus seguidores.

De acordo com a Forbes, o mercado de influência cresceu 43% de 2020 para 2021 e deve chegar a 25 bilhões ano que vem, em 2023. Isso indica o potencial e oportunidades no mercado não somente no Brasil, mas no mundo inteiro, se tornando uma tendência mundial. Um estudo feito pela Another, vídeos curtos, causas, diversidade e inclusão seguem como tendências que já apareciam em 2021 e vão se manter relevantes este ano.

Para surfar na onda, muitas marcas estão apostando na criação de áreas dedicadas ao marketing de influência e também um budget específico para as estratégias segmentadas. Alguns dados de mercado refletem esta movimentação pioneira.

Dados da pesquisa da Youpix revelam que o investimento das marcas em influência cresceu 71% esse ano. A Squid, uma agência de influenciadores, foi adquirida pela Locaweb por 176 milhões e a Mynd deve fechar o ano com previsão de 160 milhões de faturamento.

Se prepare: Creator Economy está chegando 

Quem já não leu por aí sobre algum influencer que fez tanto sucesso que criou sua própria marca? Nomes como Nati Vozza, Niina Secrets e Letícia Vaz comprovam que é possível empreender sendo uma influenciadora digital. O mercado de criação de conteúdo é cada vez mais vasto e descentralizado, possibilitando inúmeras oportunidades. O tamanho do ecossistema de creators é vasto e a tendência é que parte deles criem as suas próprias marcas, ganhando dinheiro direto com sua comunidade. 

Isso vai causar uma mudança no mercado e as marcas precisam estar preparadas.

Quer lucrar com a influência digital? Cadastre-se agora na PickMe!

Quer saber mais de como se tornar um influencer?
Fique de olho no blog da Pickme, com mais dicas a qualquer momento.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: